Diversidade da culinária pantaneira é destaque na Expo 2020

A culinária do Pantanal é um dos destaques de hoje (16) no Pavilhão Brasil da Expo 2020, em Dubai. Sob o comando da chef Luciana Berry, vencedora do Top Chef Brasil 2020, foram servidos pratos como caldo de tambaqui com mandioca, vitela com purê de banana e pudim de tapioca com farofa de nozes.

Brasil Expo 2020Brasil Expo 2020

A chef Luciana Berry cozinha no pavilhão Brasil Expo 2020 – ApexBrasil

Como aperitivo, o público também pôde degustar uma dose de caipirinha de caju. Durante todo o preparo dos alimentos, a chef demonstrou desenvoltura e bastante conhecimento – não apenas da culinária pantaneira, mas do bioma como um todo.

Os pratos foram colocados à prova de fogo quando dois ou três integrantes do público revelaram ser de Mato Grosso. Luciana explicou que a proposta original era servir caldo de piranha, mas não houve liberação para a entrada da iguaria no país árabe. Ainda assim, os três pratos foram aprovados.

Gastronomia e biomas

A convite da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), chefs brasileiros apresentam, até março de 2022, no Pavilhão Brasil da Expo 2020, pratos preparados com ingredientes de cinco biomas: pantanal, caatinga, cerrado, amazônico e pampa.

A proposta é representar o potencial da culinária brasileira por meio de apresentações culinárias (cooking shows) como a de hoje, em que o preparo é demonstrado na hora e o público pode saborear mini porções servidas pela cozinha do pavilhão. Os talheres utilizados são de madeira sustentável, em conformidade com uma das principais bandeiras do evento.

Cronograma

Confira o cronograma dos cooking shows a serem executados ao longo dos próximos meses no Pavilhão Brasil e seus respectivos biomas:

  • 7 de dezembro: cerrado
  • 31 de janeiro: caatinga
  • 16 de fevereiro: cooking show especial sobre a mandioca
  • 17 de fevereiro: pampa
  • 23 de fevereiro: amazônico

*A repórter viajou a convite da Apex-Brasil

Leia Mais
Covid-19: Brasil registra 17,4 milhões de casos e 488,2 mil mortes
Open